sexta-feira, 29 de abril de 2011

Coordenador da Funarte fala sobre situação do circo no Brasil

Foto: Google Imagens



Em seu atual modelo, a Lei Rouanet raramente beneficia um circo itinerante ou grupo circense. A afirmação é do responsável pela Coordenação de Circo da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Marcos Teixeira, e reforça as atuais críticas feitas à lei de estímulo à produção artística criada em 1991.

Procurado pela Agência Brasil para comentar algumas das críticas e reivindicações feitas por artistas e representantes da classe circense, Teixeira defendeu que as mudanças na lei propostas pelo Ministério da Cultura mudaria a “lógica perversa” pela qual as empresas priorizam os espetáculos ou iniciativas que lhes dê maior retorno publicitário.

“O circo vive exclusivamente de sua bilheteria. Raramente ele consegue algum patrocínio e ele não se utiliza da Lei Rouanet. É necessário vender o almoço para comprar o jantar. Se não há espetáculo, não há dinheiro sequer para deixar uma cidade e seguir viagem”, declarou Teixeira, garantindo que a Funarte tem aumentado ano a ano os recursos destinados à produção, fortalecimento, capacitação e valorização das atividades circenses.

Teixeira mencionou, por exemplo, o auxílio aos circos que, em 2008, foram prejudicados pelas fortes chuvas que alagaram o estado de Santa Catarina. E as oficinas que desde 2009 já capacitaram mais de 350 profissionais de todo o país. Realizadas em uma capital de cada uma das cinco regiões brasileiras, as oficinas já abordaram aspectos como elaboração de projetos, planejamento estratégico, legislação, segurança, direção cênica, expressão corporal, figurino e iluminação.

Além disso, Teixeira garante que, desde 2007, a Funarte já distribuiu, por meio de editais públicos, mais de 150 lonas novas a circos de todo o país. E, para ele, os valores disponibilizados por meio de editais não são pequenos. Citando como exemplo o Prêmio Carequinha, um dos mais importantes do segmento, cada contemplado na categoria de circo itinerante de pequeno porte, com capacidade de até 600 pessoas, recebe R$ 25 mil. O médio, até mil lugares, R$ 40 mil. Mesmo valor entregue ao beneficiado na categoria grande porte, com capacidade para receber mais de mil pessoas.

Quanto às críticas de que falta uma política nacional para o setor, Teixeira diz que as atividades de estímulo à cargo da Funarte beneficiam grupos de todo o país, mas reconheceu que não há leis federais que estabeleçam, por exemplo, a obrigatoriedade da realização de editais anuais ou que tratem da questão da aposentadoria. “Não há, por exemplo, uma lei que garanta a aplicação de recursos. Nem que trate da questão da aposentadoria, que é um problema sério. Mas isso extrapola o universo circense. Isso atinge as manifestações artísticas em geral”.

O coordenador também garantiu que embora caiba às prefeituras oferecer condições atraentes para os circos, a Funarte tem uma campanha nacional para sensibilizar os prefeitos para que eles resguardem terrenos adequados onde um circo possa se instalar. “Mostramos que o circo é uma atividade cultural. Muitos prefeitos acham que o circo chega a sua cidade para levar o dinheiro embora. Nosso papel é demonstrar que o circo é uma atividade cultural que traz benefícios à população, que tem o direito de recebê-la”.

*Com informações da Agência Brasil

Coleção História Geral da África ganha versão em português


Publicada em oito volumes, a coleção História Geral da África está disponível em português desde o final do ano passado. A edição completa da coleção já foi publicada em árabe, inglês e francês; e sua versão condensada está editada em inglês, francês e em várias outras línguas, incluindo hausa, peul e swahili. Um dos projetos editoriais mais importantes da UNESCO nos últimos trinta anos, a coleção História Geral da África é um marco no processo de reconhecimento do patrimônio cultural da África, pois ela permite compreender o desenvolvimento histórico dos povos africanos e sua relação com outras civilizações a partir de uma visão panorâmica, diacrônica e objetiva, obtida de dentro do continente.

A coleção foi produzida por mais de 350 especialistas das mais variadas áreas do conhecimento, sob a direção de um Comitê Científico Internacional formado por 39 intelectuais, dos quais dois terços eram africanos. O objetivo da tradução da obra é fazer com que professores e estudantes lancem um novo olhar sobre o continente africano e entendam sua contribuição para a formação da sociedade brasileira. O conteúdo será base para a construção de materiais pedagógicos para uso de professores e estudantes. A iniciativa é um importante passo dentro de uma política pública de valorização da diversidade e de implementação da lei que estabelece a Educação das Relações Étnico-Raciais e o  História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. O material também será disponibilizado por representantes dos países africanos de língua portuguesa.

O Ministério da Educação irá distribuir a coleção para bibliotecas públicas municipais, estaduais e distritais; bibliotecas  das  Instituições de Ensino Superior, dos Polos da Universidade Aberta do Brasil, dos Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros, dos Conselhos Estaduais ou Distrital de Educação. Os oito volumes estão disponíveis para download nos sites da UNESCO e do Ministério da Educação.

Fonte: UNESCO

Últimos dias de inscrições para o prêmio Empreendedor Social 2011

Este blog costuma trazer postagens relacionados à cultura, mas boas iniciativas, sejam elas quais forem, merecem destaque e divulgação. Fica, então, a dica deste prêmio que tem tudo para contribuir na construção de um mundo mais sustentável.

Foto: Google Imagens

Uma ideia socioambiental merece apoio. As melhores merecem um prêmio. Esse é o slogan do o 7º Prêmio Empreendedor Social e o 3º Prêmio Folha Empreendedor Social de Futuro, cujas inscrições vão até o dia 1º de maio. Os concursos buscam líderes sociais que atuam de forma inovadora, sustentável e com forte impacto na sociedade e em políticas públicas.

Neste ano, além de reconhecimento na mídia e em evento que reunirá lideranças acadêmicas, empresariais, públicas e sociais, todos os finalistas terão acesso a benefícios para aprimorar sua formação e a gestão da organização. O vencedor do Empreendedor Social 2011 receberá uma auditoria independente e integrará a rede mundial de Empreendedores Sociais de Destaque da Fundação Schwab, parceira da Folha nesse prêmio, que é realizado em todos os continentes.

Também será convidado a participar, com despesas pagas, da reunião do Fórum Econômico Mundial para a América Latina em 2012 e, dependendo do perfil, da Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, em 2013. Já o vencedor do Empreendedor Social de Futuro receberá uma bolsa no MBA de Negócios Sustentáveis em 2012, além de uma consultoria de gestão por dez dias.

Os prêmios sociais são patrocinados pela Ernst & Young Terco e têm apoio estratégico de Artemisia; Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor); Iats (Instituto de Administração para o Terceiro Setor); Figueiredo Lopes, Golfieri, Reicher, Storto Advogados; Gesc (Gestão para Organizações da Sociedade Civil); Neurônio; sitawi e The Hub.

Outros apoiadores são ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos), Ashoka, CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), Ethos, Folha.com, Gife (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas), ONG Brasil, P&B, Planeta Voluntários, Sator e UOL.

As inscrições são somente pela Internet. Para mais informações, inscrições e regulamento completo, acesse o site: http://www.newsdoplaneta.com.br/

De parcerias na Internet ao estúdio, nasce o CD “Todo dia”, da cantora carioca Danny Reis


Todo dia é dia de boa música. E nada como a Internet para descobrir preciosidades em forma de letra e melodia. E foi assim que a cantora carioca Danny Reis selecionou o repertório de seu CD de estreia, “Todo dia”, que ela lança nesta sexta-feira, 29, no Espaço Cultural Correia Lima, no Catete.

Todas as canções presentes no CD de Danny nasceram de parcerias feitas através da lista de discussão na internet M-Música, da qual a cantora faz parte desde 2001. No repertório de “Todo Dia”, compositores como Zé Rodrix (um dos autores de “Casa no Campo”, sucesso na voz de Elis Regina) e Alexandre Lemos (um dos compositores de “Novamente”, gravada por Ney Matogrosso) dividem espaço com artistas desconhecidos do grande público. Dentre estes, estão Sonekka e Zé Edu Camargo, com “Barra do Rio Grande” (selecionada para a edição 2006 do Prêmio Visa), Guilherme Rondon e Gilvandro Filho, entre outros.

Seguindo o caminho inverso do que os artistas costumam seguir, tais músicas nascidas pela Internet, fizeram parte do repertório do show, também de nome “Todo dia”, e agora, cinco anos depois, foram gravadas em CD. Uma prova de que inovação é sempre bem vinda quando se fala de arte.

O show de lançamento do CD começa ás 20h30 e o Espaço Correia Lima fica na Rua Bento Lisboa, 58 – Catete.  Os ingressos custam R$20, mas por R$30 é possível comprar o CD e assistir ao show. E para aqueles que compraram o CD adiantado, é só pegar o seu na hora.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

São Paulo: Cursos na área de cultura


Para quem se interessa por aprofundar algum assunto na área cultural, segue algumas dicas de cursos promovidos pelo Centro de Estudos de Mídia, Entretenimento e Cultura (CEMEC), em São Paulo:

15 e 16/4 – Economia da Cultura e Economia Criativa
Coordenação: Ana Clara Fonseca Reis
Cultura e economia atuaram de forma entrelaçada, ao longo de séculos. Desde a Revolução Industrial, porém, tornaram-se desvinculadas e até antagônicas. Nos dias de hoje, cultura e economia se reaproximam, sem que uma tome a outra como utilitária; pelo contrário, a soma de ambas indica caminhos novos e promissores para o desenvolvimento socioeconômico e as inovações urbanas. Uma equação na qual todas as partes ganham. 

20/4 a 04/5 – Redes Sociais e ações culturais
Coordenação: Luiz Algarra
O curso traz uma reflexão acerca dos conceitos, práticas e ferramentas que integram o universo das redes sociais entendidas como padrões de organização e que favorecem os atores sociais a empreenderem, obterem resultados e promoverem a transformação de sua realidade.

25 e 26/4 – Organizações do Terceiro Setor
Coordenação: Ronaldo Bianchi
O curso traz uma reflexão acerca dos conceitos, práticas e ferramentas que integram o universo das redes sociais entendidas como padrões de organização e que favorecem os atores sociais a empreenderem, obterem resultados e promoverem a transformação de sua realidade.

10 e 11/5 – Diversidade Cultural
Coordenação: Lilian Richieri Hanania
Os encontros tem por objetivo explorar o debate comércio - cultura  sob uma perspectiva de direito internacional, no sentido de oferecer as bases de compreensão desse debate, esclarecendo conceitos como “exceção cultural” e alimentando a reflexão sobre o que trouxe a Convenção da UNESCO para tal discussão.

Mais informações sobre estes e outros cursos estão no site http://redecemec.com/cursos

Rio de Janeiro: Projeto "Fazendo o que gosta"

Foto: Thaís Motta

A cantora Eymar Fonseca será a convidada do pianista Marvio Ciribelli, na  próxima edição do projeto "Fazendo o que Gosta", que acontece no sábado, dia 9. Outro destaque da noite será a presença da música instrumental brasileira, com os convidados Paulo Diniz (bateria) e o contrabaixista Fábio Cavalieri.

Eymar Fonseca é filha de um grande ícone da Música Popular Brasileira, a cantora Ademilde Fonseca, e vai apresentar no show alguns sucessos da mãe, como "O que vier eu traço" (Zé Maria e Alvaiade) e Doce de Coco (Jacob do Bandolim, Hermínio Bello de Carvalho e João Pacífico). Outros clássicos também estarão presentes, como De Volta para o Aconchego (Dominguinhos e Nando Cordel), Morena Boca de Ouro (Ary Barroso) e Trocando em Miúdos (Chico Buarque e Francis Hime).

Já os instrumentistas da noite já tocaram com grandes nomes da música. O baterista Paulo Diniz, por exemplo, tocou com artistas como a cantora Denise Pinaud, o saxofonista Raul Mascarenhas e a cantora americana Alma Thomas. Já Fábio Cavalieri já se apresentou com orquestras como a Sinfônica Brasileira Jovem, e artistas como Guilherme Arantes, Jane Duboc e Moraes Moreira.

O show começa ás 21h30 e acontece no bistrô do Museu de Arte Contemporânea, que fica na Praia de Boa Viagem, s/n – Niterói. Os ingressos custam R$15 e mais informações podem ser obtidas através do telefone (21) 2629-1416.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Bloco Mulheres de Chico faz show no Rio de Janeiro


E aí, cariocas, sem programa para o fim de semana? Aqui vai a dica: o bloco Mulheres de Chico volta ao palco do Bar do Tom, no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira, dia 8, a partir das 22h. O show faz parte das comemorações do aniversário do bloco, que há cinco anos encanta o público com seus “carnavais fora de época” (e na época, também!). O repertório dispensa apresentações: apenas canções daquele que mais entende da alma feminina: Chico Buarque.

Então, já sabe, sexta é dia de Mulheres de Chico! Para os malandros e cabrochas interessados, o Bar do Tom fica na Rua Adalberto Ferreira, 32 – Leblon. Informações e reservas pelo telefone (21) 2274.-4022. Há venda de ingressos antecipados no local ou pelo site Ingresso.com. Para quem quiser fazer parte da lista amiga e pagar meia entrada, é só enviar nome e sobrenome para blocomulheresdechico@gmail.com ou nas comunidades do bloco no Facebook e Orkut até às 15h do dia do show.áH

Dani Gurgel lança projeto com gravações de músicas inéditas para download livre

Imagem: Google Imagens
Inovando mais uma vez em suas iniciativas, a cantora e compositora paulista Dani Gurgel criou o podcast Música de Graça. A proposta é que todo mês seja disponibilizada uma música para download grátis. As gravações exclusivas reunirão tanto artistas novos quanto consagrados  e contarão com uma música inédita e uma entrevista, ambas sob uma licença Creative Commons.

Os downloads começam a partir de maio, mas entre os dias 6 e 8 de abril, Dani transmitirá as gravações dos primeiros episódios do podcast ao vivo via twitcam (através do twitter @danigurgel), direto da Oca – Casa de Som. Para mais informações, acesse o site www.musicadegraca.com.br

Salvador: MAM realiza ação educativa na comunidade do Unhão

Foto: Alexandra Dumas
Na próxima quinta-feira, dia 7, o Museu de Arte Moderna da Bahia realiza uma ação de arte ligada à 29ª Bienal de São Paulo – Obras Selecionadas, mostra que está em cartaz até o dia 29 de maio, com obras que fizeram parte da Bienal em São Paulo no ano passado. A atividade desta quinta-feira será “Diluindo fronteiras_aproximando territórios”, comandada pela artista multimídia Ana Dumas em integração com o Projeto Linha do Abraço.

O projeto tem o objetivo de promover a educação artí­stica e estética para sensibilização das crianças e adolescentes da comunidade do Unhão, com relação ao patrimônio artístico e cultural do Solar do Unhão e trabalhos de arte expostos no MAM. Além disso, é uma forma de exercitar uma visão crítica e reflexiva sobre as artes visuais, o museu e a comunidade.

Em sua participação nas ações educativas da Bienal, em Salvador, Ana Dumas fará uma intervenção na comunidade do Unhão com um carrinho multimídia, semelhante aos carrinhos utilizados para a venda de cafezinho. Neste momento, o carrinho está apresentando o artista baiano Anderson AC com o trabalho Brauzuca, um personagem criado por ele. Este trabalho é uma releitura de um trabalho de Dumas, BRAU – Brasileiro Universal. Com a Galeria Ambulante, será mostrado o processo de trabalho até chegar à obra final. 

Serviço
O que: Diluindo fronteiras_ aproximando territórios
Dia: 07 de Abril
Horário: 15h às 19h
Local: Comunidade Solar do Unhão

Fonte: Secult BA

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Livro que aborda literatura nas periferias é lançado em Salvador


Há uma intensa movimentação literária nas periferias das grandes cidades, que tem revelado novos autores e vem ganhando corpo com a publicação de livros em espaços democráticos como os saraus. Pioneira no estudo desta cena, a socióloga paulista Érica Peçanha do Nascimento mapeou os principais nomes atuantes em São Paulo. O resultado está no livro “Vozes Marginais na Literatura”, que ela lança dias 5 e 6 em Salvador, numa série de atividades com o coletivo Blackitude – Vozes Negras da Bahia. Em todas as atividades, a autora fala de sua pesquisa e autografa seu livro, publicado pela coleção Tramas Urbanas, da Aeroplano Editora.

Na pesquisa, realizada entre 2003 e 2006, a estudiosa entrevistou doze escritores, entre eles Ferréz, que assina o prefácio da publicação. O livro também traz posfácio do professor Heitor Frúgoli Jr, especialista em discussões sobre o espaço urbano, e fotografias de escritores, apoiadores e espaços citados.

O ponto de partida da pesquisa de Érica foi o lançamento de três edições da revista Caros Amigos/Literatura Marginal. Seu mote principal foi a atribuição do adjetivo marginal por parte de alguns escritores da periferia, para caracterizar a si ou aos seus produtos literários no limiar do século XXI. Ela aborda o tema do ponto de vista antropológico e discute o que é literatura marginal, como os autores estudados constroem sua atuação político-cultural e se é possível falar em cultura da periferia.

Confira a programação do lançamento:

Terça feira (05/04)
1. Minicurso:
“Vozes marginais na literatura: relatos, desafios e possibilidades de pesquisa”
Exibição do documentário Curta Saraus
Local: Universidade Católica de Salvador – Lapa
Horário: das 14h às 17h
Inscrições: CA de Letras (R$ 7,00) / Com certificado
*Érica Peçanha autografará o “Vozes marginais na literatura”

2. Mesa redonda:
“Vozes Marginais na Literatura”
Exibição do documentário Curta Saraus
Participantes: Érica Peçanha (SP), Silvio Roberto Oliveira (UNEB),
Nelson Maca (UCsal) e José Henrique (UFBA)
Participação poética: Nelson Maca & Robson Veio (Sarau Bem Black);
Luiza Gata e Lucinha Black Power (Sarau Bem Legal)
Local: Biblioteca Infantil Monteiro Lobato – Nazaré
Horário: das 19 às 21:30h / Entrada Franca
*Érica Peçanha autografará o “Vozes marginais na literatura”

Quarta feira (06/04)
1. Sarau Bem Black
Lançamento: “Vozes marginais na literatura”
Com a presença da autora: Érica Peçanha do Nascimento
Exibição do documentário Curta Saraus
Local: Sankofa African Bar – Pelourinho
Horário: das 19 às 22:30h
Entrada gratuita

(Re)Conhecendo o Rio


É fato que o centro do Rio guarda muitas histórias. Mas será que o carioca conhece cada nuance desse ambiente? E foi com o objetivo de descortinar os “mistérios” do centro do Rio que o projeto Roteiros Geográficos do Rio foi criado. Coordenado pelo professor Dr. João Baptista Ferreira de Mello, o projeto promove caminhadas gratuitas na Área Central do Rio de Janeiro de dia e à noite, além de outros pontos da cidade, tais como os bairros Glória, Catete, Flamengo e Copacabana. 

Roteiros Geográficos do Rio é um projeto de extensão do Núcleo de Estudos Sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro – NeghaRIO – do Instituto de Geografia – IGEOG – da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. O projeto procura resgatar o espaço urbano carioca, traduzindo, dessa forma, a cidade como um livro aberto a ser explicado, ampliando, assim, os domínios do conhecimento dos participantes sobre a própria geografia na qual criam, atuam e vivem. 

Trata-se, assim, de uma maneira vibrante e direta de se aprender geografia e a vida de relações da cidade, a partir das exposições do professor e dos bolsistas em lugares coletivos e ambientes fechados na cidade do Rio de Janeiro. Ficou interessado? Na próxima quarta-feira, dia 6, tem um passeio novo: Memória e Metamorfoses no Retorno aos Morros do Senado,Santo Antônio e Castelo. 

O ponto de encontro para este passeio será junto ao Grande Templo Israelita (esquina de ruas HenriqueValadares com Tenente Possolo) às 20h. As inscrições são grátis e podem ser efetuadas pelo email roteirosgeorio@uol.com.br, pelo Twitter ou pelo telefone (21) 8871-7238. E para conferir a programação dos próximos passeios, é só acessar o site do projeto.

Caixa Cultural Salvador realiza projeto de leitura durante o mês de abril


A CAIXA Cultural Salvador abriga, desde ontem, o projeto Ler e Descobrir, com vivência de contação de histórias para pais, crianças, escolas e instituições assistenciais. Dirigido pela contadora de história Maria José Bello Goodwin, o projeto foi aprovado pelo Edital da CAIXA Cultural para a ocupação da pauta em 2011 com o objetivo de incentivo à leitura para crianças e adultos.

As vivências serão realizadas com diversos recursos pedagógicos, como origami, pintura, desenho e relaxamento corporal, além da contação de histórias, que é o carro-chefe do projeto. As oficinas acontecerão em 12 turmas, com 3 horas de duração, nos turnos da manhã e da tarde, até o dia 1º de maio.

A CAIXA Cultural Salvador fica na Rua Carlos Gomes, 57 – Centro. Informações e inscrições estão disponíveis no telefone (71)3421-4200. É importante lembrar que o evento é gratuito, mas há limitação de alunos por turma.

domingo, 3 de abril de 2011

Rio de Janeiro: estreia peça inspirada na obra de Fernando Pessoa


A poesia e as inquietações de um dos mais importantes representantes da literatura mundial, Fernando Pessoa, servem de ponto de partida para 'Navegar é preciso', espetáculo teatral que estreou, na última sexta-feira, no Teatro do Sesc Tijuca.

A peça conta a história de um dia na vida de um indivíduo atormentado em busca de respostas sobre o sentido de sua vida. A visão de mundo e a ânsia por compreender o sentido da vida do personagem atormentado encontram eco a partir do encontro de Pessoa e seus heterônimos - entre eles Alberto Caeiro, Ricardo Reis, Álvaro de Campos e Bernardo Soares.

O projeto foi desenvolvido durantes cerca de dois anos, com profunda pesquisa sobre a obra e a vida de Fernando Pessoa, incluindo visitas a Portugal.  Quem assina o roteiro adaptado é Affonso Drumond e Delson Antunes. Já a direção e supervisão artística é feita pela atriz Camilla Amado.

A peça fica em cartaz até o dia 24 de abril, de sexta á domingo às 20h. O Sesc Tijuca fica na Rua Barão de Mesquita, 539. Os ingressos variam de R$ 4 a R$ 16. Mais informações pelo telefone (21) 3238-2164.

Fonte: Sesc Rio

Série de 3 episódios revela imagens e depoimentos históricos sobre o Golpe de 64


Os que viveram a ditadura militar brasileira, os que passaram por ela em brancas nuvens e os que nasceram depois que ela acabou. Todos podem conhecer melhor e refletir sobre esse período, a partir da nova série “O Dia que durou 21 anos”, que a TV Brasil exibe nos dias 4, 5 e 6 de abril, às 22 h.

Em clima de suspense e ação, o documentário apresenta, em três episódios de 26 minutos cada, os bastidores da participação do governo dos Estados Unidos no golpe militar de 1964 que durou até 1985 e instaurou a ditadura no Brasil. Pela primeira vez na televisão, documentos do arquivo norte-americano, classificados durante 46 anos como Top Secret, serão expostos ao público. Textos de telegramas, áudio de conversas telefônicas, depoimentos contundentes e imagens inéditas fazem parte dessa série iconográfica, narrada pelo jornalista Flávio Tavares.

Mais informações sobre a série podem ser encontradas no site da TV Brasil.

Rio de Janeiro: Documentos da ditadura são expostos no Arquivo Nacional


Envolvido em recente polêmica sobre a dificuldade de acesso a dados do período da ditadura militar, o Arquivo Nacional inaugura nesta segunda-feira, no Rio, a exposição "Registros de uma Guerra Surda", com 220 documentos da época. Entre os principais destaques da mostra estão os originais do Ato Institucional nº 5 e da ata da reunião do conselho de ministros que discutiu sua edição. Ambos serão expostos pela primeira vez. A exposição traz também pareceres da censura contra composições de artistas.

“Registros de uma Guerra Surda” é fruto do projeto "Memórias Reveladas", patrocinado por estatais como o Banco do Brasil, que reuniu um acervo de 16,8 milhões de páginas de arquivos estaduais e federais. No fim do ano passado, o historiador Carlos Fico deixou a comissão de altos estudos do projeto por causa das dificuldades para acessar documentos que poderiam ferir a intimidade das pessoas por eles retratadas. 

O Arquivo Nacional fica na Praça da República, 173 – Centro, Rio de Janeiro, RJ. A exposição fica aberta ao público até o dia 26 de agosto, das 8h30 às 18h. Mais informações pelo telefone (21) 2179-1273. A entrada é franca.

* Com informações da Folha de S. Paulo.

Lançada segunda etapa do projeto que documenta a história do cinema baiano


Um extenso panorama da produção audiovisual realizada na Bahia ao longo do último século, com mais de 1.600 filmes cadastrados: esse é o resultado do projeto Filmografia Baiana: Memória Viva!, que agora apresenta ao público, através do site www.filmografiabaiana.com.br, todas as informações pesquisadas.

No próximo dia 6/4, às 20h, a Sala Walter da Silveira receberá cineastas, cineclubistas, pesquisadores e cinéfilos, que irão assistir ao lançamento do projeto. Buscando dar maior visibilidade à participação feminina no cinema local, a programação do evento, que faz parte da sessão Quartas Baianas, inclui a exibição de documentários recentes dirigidos por mulheres, a exemplo de ‘Hip Hop com Dendê’ (Fabíola Aquino e Lílian Machado, 2005).

Filmografia Baiana: Memória Viva!, projeto vencedor do Edital de Apoio à Pesquisa e Preservação da Memória Audiovisual Baiana do IRDEB, deu continuidade e aprofundamento ao Mapeamento da Filmografia Baiana (2008), que catalogou 1.412 filmes. Na primeira fase o objetivo era reunir somente os dados essenciais de cada película: ano de produção, suporte, gênero, direção e companhia produtora.

A segunda etapa, executada entre outubro de 2010 e março de 2011, atualizou e aprofundou o mapeamento inicial, acrescentando às informações básicas itens como sinopse, elenco, imagens, prêmios, créditos completos e cópias disponíveis. Além disso, as fontes primárias, ou seja, os próprios filmes passaram a ser utilizados no trabalho de pesquisa. A ênfase nesta etapa foi o período entre 1959, ano de estreia do longa-metragem ‘Redenção’, de Roberto Pires, e 2010.

Idealizada pela pesquisadora Laura Bezerra, esta iniciativa de documentação do cinema baiano visa divulgar e valorizar a produção audiovisual do estado, incentivar as pesquisas e contribuir para uma política de preservação do acervo filmográfico. Filmografia Baiana: Memória Viva! se diferencia pela abrangência: curtas e longas-metragens, independentemente do suporte utilizado, gênero, valor artístico ou comercial foram catalogados – desde o pioneiro ‘Regatas na Bahia’ (Diomenes Gramacho e José Dias da Costa, 1910) até as produções mais atuais. 

Pensada a longo prazo, a pesquisa será ampliada de forma gradativa, já que o cinema baiano, com 100 anos de existência, tem muitas histórias para contar. Hoje, o site do projeto conta com 1.650 filmes cadastrados, 62 de longa-metragem, e todas as informações podem ser acessadas gratuitamente pela comunidade.

Lançamento do projeto Filmografia Baiana: Memória Viva!

Data: 6/4, às 20h
Local: Sala Walter da Silveira - Rua General Labatut, 27. Subsolo - Barris, Salvador, BA.

Documentários que serão exibidos:
LONÁ DE ASFALTO (2002)
Curta-metragem, Sonoro, Não-ficção, P&B
Digital, 5 min
Brasil/Salvador (BA)
Direção: Marília Hughes Guerreiro e Aline Frey

XUKURU ORORUBÁ (2008)
Curta-metragem, Sonoro, Não-ficção, Colorido, P&B
35mm, Super-8, Digital, 15 min
Brasil/Salvador (BA)
Direção: Marcília Barros

HIP HOP COM DENDÊ (2005)
Curta-metragem, Sonoro, Não-ficção, Colorido
Digital, 15 min
Brasil/Salvador (BA)
Direção: Fabíola Aquino e Lílian Machado

UMBIGADA (2006)
Curta-metragem, Sonoro, Não-ficção, Colorido
Digital, 26 min
Brasil/Salvador (BA)
Direção: Gabriela Barreto e Janaína Quetzal

Fonte: Secretaria de Cultura da Bahia

Aracaju: Congresso Estadual de Memória e Patrimônio Cultural


De 16 a 20 de maio, em Aracaju, serão discutidas estratégias e ações para preservar bens materiais e imateriais em risco, durante o Congresso Estadual de Memória e Patrimônio Cultural. O encontro científico é organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Memória e Patrimônio Sergipano – GEMPS/CNPq em parceria com o Iphan-SE. As inscrições de trabalhos estão abertas até o dia 10 de abril. Mais informações no blog do evento.

sábado, 2 de abril de 2011

Ibermuseus lança II Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus


O programa Ibermuseus lançou nesta sexta-feira, 1º de abril, o II Prêmio Ibero-americano de Educação e Museus 2011. O evento contou com as presenças do secretário-geral da OEI (Organização dos Estados Ibero-americanos), Álvaro Marchesi, e do presidente do Ibram (que também preside o Ibermuseus), José do Nascimento Junior.  A diretora do escritório regional da OEI no Brasil, Ivana Siqueira, e a diretora interina da Segib (Secretaria Geral Ibero-americana), Alice Abreu, também participaram do lançamento, além de adidos culturais e outras autoridades da Ibero-américa.

O objetivo do Prêmio é identificar, premiar e dar visibilidade a boas práticas de ação educativa em museus e instituições culturais, que estimulem o desenvolvimento pessoal e a coesão social e promovam a responsabilidade dos museus como agentes essenciais para o desenvolvimento.

O Prêmio é composto das categorias Banco de Boas Práticas e Incubadora de Projetos em Ação Educativa. A premiação é de US$ 10 mil (1º prêmio) e US$ 5 mil (2º e 3º prêmios).

Programa Ibermuseus - O Ibermuseus é um programa intergovernamental de cooperação cultural para a criação e fortalecimento de políticas públicas de museus na Ibero-américa. Vinculado à Segib, tem apoio técnico da OEI e do Ibram, e apoio financeiro da Agência Espanhola de Cooperação Internacional (Aecid). A sede do Ibermuseus fica no Brasil, no Instituto Brasileiro de Museus, e o programa é presidido por José do Nascimento Junior, também presidente do Instituto.

Fonte: Ibram/MinC

Bahia: Inscrições abertas para IX Festival de Música Educadora FM

Já estão abertas as inscrições para o IX Festival de Música Educadora FM. A premiação, de R$ 56 mil reais, as categorias e as regras permanecem as mesmas da edição de 2010. Ou seja, para concorrer, o candidato precisa ser baiano ou residir na Bahia há pelo menos dois anos e apresentar até duas gravações inéditas.


Os 14 finalistas (autores e intérpretes) que irão integrar o CD do Festival 2011 serão conhecidos em data anterior ao anúncio dos vencedores nas cinco categorias e suas músicas passarão por um período de veiculação na Educadora FM 107.5 até o dia da premiação final, programada para o segundo semestre.

As inscrições poderão ser realizadas, das 14 horas às 17 horas, diretamente na Rádio Educadora – Rua Pedro Gama, 413e, Federação, Salvador, Bahia, CEP 40 231 000 – ou por meio de postagem via Correios para o mesmo endereço.

Confira as categorias e os respectivos prêmios:

Melhor Música Vocal: R$ 12.000,00
Melhor Música Instrumental: R$ 12.000,00
Melhor Intérprete Vocal: R$ 6.000,00
Melhor Intérprete Instrumental: R$ 6.000,00
Melhor Arranjo: R$ 6.000,00
14 Finalistas do CD: R$ 1.000,00 cada um

Fonte: IRDEB

2011: Ano Interamericano da Cultura


No último dia 23 de março, na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, foi realizada a cerimônia de lançamento oficial do Ano Interamericano da Cultura, cujos projetos serão desenvolvidos ao longo de 2011 com recursos do Ministério da Cultura. A iniciativa visa celebrar a diversidade das culturas nas Américas e possibilitar a formulação e a implementação de políticas públicas e projetos, tendo em vista o fortalecimento das indústrias culturais e a promoção da cultura como instrumento de inclusão social.

Pela primeira vez na história, o Brasil, por meio do MinC, foi escolhido, em 2009, para assumir a presidência da Comissão Interamericana de Cultura daquela organização (CIC/OEA), no biênio 2010/2011. Já nessa condição, o MinC firmou um Protocolo de Intenções com a OEA para financiar o plano de trabalho elaborado pela Comissão, incluindo o edital que será lançado para custear as atividades que serão executadas ao longo de 2011.  Para o desenvolvimento dos projetos relativos ao Ano Interamericano da Cultura, serão repassados cerca de R$ 500 mil. O diretor de Relações Internacionais do Ministério da Cultura, Marcelo Dantas, é o presidente da CIC/OEA.

Na capital americana, o lançamento do Ano Interamericano da Cultura aconteceu numa sessão conjunta do Conselho Permanente da OEA e da Comissão Executiva Permanente do Conselho Interamericano para o Desenvolvimento Integral (CEPCIDI), com a presença de especialistas convidados. Na ocasião, também foi lançado o site relativo ao Ano, onde já podem ser conhecidas diversas atividades e eventos que estão sendo organizados para marcar o Ano Interamericano da Cultura.

Como presidente da CIC/OEA, também caberá ao Brasil sediar a V Reunião Interamericana de Ministros e Máximas Autoridades de Cultura, a se realizar na cidade do Rio de Janeiro, em data a ser ainda definida. Em documento, a OEA afirmou que os seus 35 Estados membros declaram 2011 como o Ano Interamericano da Cultura, “em reconhecimento ao papel central que a cultura desempenha no desenvolvimento econômico, social e humano de todas as comunidades”.

A Organização dos Estados Americanos é uma organização internacional que se estabeleceu no ano de 1948, visando obter entre seus Estados membros “uma ordem de paz e de justiça, para promover sua solidariedade, intensificar sua colaboração e defender sua soberania, sua integridade territorial e sua independência”. Atualmente é formada por 35 países e representa o principal fórum governamental político, jurídico e social do hemisfério.

Fonte: MinC

Show no Rio de Janeiro homenageia 80 anos de Mestre Sivuca


Neste sábado e domingo o Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro será palco do show “Sanfoneando”, em homenagem aos 80 anos do Mestre Sivuca. Quem comanda a festa é a cantora e compositora permambucana Adryana BB, acompanhada por Marcelo Caldi no acordeom, Fábio Luna na percussão e flauta e pelo quarteto de cordas criado especialmente para o projeto, o "sivucordas".

No repertório, músicas como "João e Maria","Cabelo de MIlho", "Fogo Pagô",  "Bailado", "Feira de Mangaio", "Amor Verdadeiro", além das instrumentais como "Cabaceira Mon Amour" e "Feira de Itabaiana".

Os shows serão na parte externa do CCBB, que fica na Rua 1º de março, 66 – Centro. As apresentações começam às 18h e são grátis. Lembrando que não precisa de senha: é só chegar e curtir!

Fortaleza: Abril para Leitura


Homenageando datas comemorativas relativas ao Livro, a unidade de Fortaleza do Centro Cultural Banco do Nordeste realiza, durante o mês de abril, o evento multimídia Abril para Leitura. A programação da iniciativa contempla peças de teatro adulto e infantil, espetáculo cênico-musical, curso de apreciação de arte, oficina de formação artística, palestras/debates, passeios lúdicos, exibições audiovisuais, contações de história e tenda poética. . No mês de abril, são comemorados o Dia Internacional do Livro Infanto-juvenil (02), o Dia Nacional do Livro Infantil (18) e o Dia Mundial do Livro (23).
O CCBNB – Fortaleza está localizado na Rua Floriano Peixoto, 941, Centro. A programação completa pode ser acessada no site ITeia.