segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Com a palavra, as mulheres


Um palco, uma cadeira, pétalas brancas ao chão. Nada há nesse ambiente onírico, apenas a música que toca, entoada por uma voz doce. “Será um anjo?”, pergunto-me. Mas quanta personalidade para uma voz que consegue ser tão feminina... Voz envolvente, instigante, que completa aquele cenário quase fantasioso. O terceiro sinal toca. Ouço aquela voz mais uma vez. Agora, a dona dela não mais canta, mas fala, e é Clarice Lispector que ela apresenta.

Ao longo do espetáculo, música, teatro e poesia são os subsídios para uma jornada poética, filosófica e musical pela alma feminina. E nada melhor do que a dona daquela linda voz, acompanhada de um piano e muito sentimento, para contar essa história. Impossível tirar os olhos de Eduarda Fadini. O palco, antes apenas preenchido pela minha imaginação de espectadora, é magistralmente ocupado por ela. O palco é só dela, e ninguém a tira de lá. A iluminação é todo o sentimento materializado. É delicado como o lilás e o azul, é intenso como o vermelho, é revelador como o branco, e é introspectivo como as sombras que se formam.




Eduarda desnuda a alma feminina num espetáculo de profundo lirismo, que descreve os caminhos e descaminhos da mulher em busca do amor, resultando numa celebração da feminilidade em toda sua plenitude. E para mostrar quem somos nós, mulheres, “Palavra de mulher” apresenta textos próprios de Eduarda, poesia de grandes autoras, como Adélia Prado, Marina Colasanti e Cora Coralina, além da música de grandes compositores brasileiros, como Chico Buarque, Ary Barroso e Tom Jobim.

E se alguém ainda acredita que mulher é o sexo frágil, é bom rever seus conceitos. Não pensem que é fácil ser mãe, esposa, profissional, tudo isso sem perder a ternura e sem descer do salto. E todas essas faces do mundo feminino estão presentes na voz e interpretação de Eduarda. É uma entrega quase visceral que vemos no palco. É a sensibilidade feminina que tem força, que tem expressão, que tem muito, muito sentimento. “Palavra de mulher” é um espetáculo nada óbvio.

Palavra de mulher:
Atuação e Concepção: Eduarda Fadini
Direção Musical, Arranjo e Piano: Roberto Bahal
Direção Cênica: Rodrigo França
Local: Teatro Café Pequeno - Av. Ataulfo de Paiva, 269
Datas: 31/01 e 07/02 - Domingos
Horário: 17h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira ) e R$ 10,00 (meia - lista amiga, estudantes, professores, idosos, classe artística)